A Beleza entre os Egípcios

Você acha que somente em nossos dias é que valorizamos a busca pela beleza? Pois está muito enganado ! Já no mundo antigo isso era feito. Leia a matéria a seguir sobre a Beleza no tempo dos Egípcios.



A Beleza Egípcia
A busca pela beleza não é um hábito típico dos tempos modernos. Já na Antiguidade, ela ocupava parte do dia de mulheres e homens e dispendia  tempo de pesquisa; egípcios, gregos e romanos procuravam tanto a cura como correções estéticas por meio de diferentes substâncias e misturas. "Elementos como o leite e o azeite perfumado eram usados na pele com funções cosméticas e de atração sexual. O mesmo que acontece hoje, com a diferença de que agora os cosméticos são vistos como algo neutro, enquanto naquela época eram considerados mágicos", diz Pedro Paulo Funari, historiador da Unicamp. Além de óleos e cremes, outros materiais alimentavam a vaidade. Os egípcios, por exemplo, usavam maquiagens, compostas de minérios em pó, como a malaquita, ou até pequenas doses de chumbo. Para fixar tudo a pele, misturavam os pigmentos com gordura animal.

O uso de joias, ornamentos de  vestuário e penteados também eram uma ferramenta de beleza (inclusive  para homens). De acordo com a classe social, os aparatos eram adaptados para ficarem parecidos com os usados pelos nobres - Nefertiti era um modelo a ser copiado. Para disfarçar rugas, uma técnica possivelmente utilizada pela rainha e outras egípcias do século 14 a.C. era prender barbantes na pele perto do couro cabeludo com uma resina, puxando esses fios junto ao cabelo preso para esticar o rosto. Já na Índia, com a medicina aiurveda, há registros de técnicas primitivas de cirurgia com enxertos de pele em casos de acidentes e deformações, principalmente no nariz.

Apenas entre o fim do século 19 e o começo do 20 é que as mulheres passaram a se preocupar com a silhueta. Em 1910, já se combatia o excesso de gordura com a ingestão de arsênio.  Com a Segunda Guerra Mundial, soldados usavam a anfetamina para combater a fome - depois, ela começou a ser consumida para emagrecer. A primeira cirurgia plástica moderna foi realizada no rosto de Walter Yeo, um marinheiro britânico que teve a região dos olhos deformada ao se acidentar na Primeira Guerra Mundial. Desde então, tornou-se possível mudar praticamente todo o formato de um corpo.

Fonte: Revista Aventuras na História. Editora Abril. Ediçã 83 -junho de 2010.
Copyright© 2010-2017 HISTOSOFIA - modelo por Jason Morrow